Lesão do Ligamento Colateral Medial (LCM) do joelho

O ligamento colateral medial (LCM) do joelho faz parte de um complexo ligamentar localizado na porção interna ou medial do joelho. Esta estrutura tem origem na borda medial do fêmur e inserção na parte interna da perna apresentando como principal função proporcionar estabilidade durante estresse de abertura da articulação.

Lesão do Ligamento Colateral Medial LCM do joelho

As lesões deste ligamento são comuns em esportes como o futebol, esqui, rúgbi e futebol americano. O mecanismo de lesão mais comum é um estresse de abertura da perna com rotação para dentro do fêmur com o membro fixado no solo. Outro tipo de trauma que pode levar a ruptura deste ligamento é um golpe lateral na parte inferior da coxa ou superior da perna.

Estas lesões normalmente cursam com dor e edema na porção interna do joelho. Sendo que ao exame físico o paciente apresenta abertura aumentada do compartimento interno desta articulação.

As lesões do LCM são classificadas em leve, moderada ou grave. Sendo que as lesões leves (grau 1) apresentam algumas fibras rompidas sem perda da integridade do ligamento. As lesões graduadas como moderadas (grau 2) são rupturas incompletas, sem frouxidão ligamentar. Já nas lesões graves (grau 3), a integridade do ligamento é completamente rompida.

Após a realização de história e exame físico pelo médico ortopedista especialista em joelho, o mesmo pode solicitar, se necessário, exames complementares. Entre estes exames podemos citar as radiografias com estresse de abertura da perna para mensuração do grau de abertura do compartimento interno do joelho e a ressonância magnética do joelho. Este último exame é útil principalmente na avaliação do local da ruptura do ligamento e na pesquisa de lesões associadas de menisco e/ou ligamentos cruzados anterior e posterior.

Em relação ao tratamento destas lesões, podemos afirmar que este ligamento do joelho possui grande potencial de cicatrização, logo são poucos os casos que necessitam de intervenção cirúrgica (reparo ou reconstrução do ligamento).

O tratamento não cirúrgico é realizado com aplicação de gelo no local, uso de medicamentos anti-inflamatórios, imobilização da articulação por, em média, 2 a 3 semanas e fisioterapia. Sendo que a maioria dos pacientes retorna às atividades normais e aos esportes de contato em 4 a 6 semanas.

O tratamento cirúrgico fica reservado para as lesões graves do LCM ou rupturas associadas a outras lesões, como no caso de meniscos e ligamentos cruzados. A cirurgia consiste na sutura do ligamento colateral medial ou reconstrução do mesmo com uso de enxertos.